MapaComo Chegar Menu

Menu


Indústria apresenta soluções para reciclagem do poliuretano no Paraná

purcom

Os aterros sanitários do Paraná poderão deixar de receber resíduos de poliuretano nos próximos anos. No dia 22 de julho foi apresentado, em Curitiba, o primeiro plano de resíduos sólidos para a coleta, destinação e reciclagem dos produtos fabricados a partir do poliuretano no Estado

A iniciativa de elaboração do Plano, cumprindo o que prevê a Lei Nacional de Resíduos e a lei estadual de resíduos sólidos, é da Purcom Química, responsável pelo fornecimento de 2,5 mil toneladas/ano de poliuretano para sete regiões do Paraná. A empresa também exporta soluções químicas para clientes em nove países

Mapeamento e reciclagem - O seminário “Política Nacional de Resíduos Sólidos: Como transformar o resíduo de poliuretano em oportunidades”, mostrou ações - aos cerca de 100 empresários presentes - que poderão ser implementadas por toda a cadeia produtiva, ou seja, para o fornecedor da matéria-prima, o transformador ou fabricante e o usuário

"O plano também indica o que o setor fará para viabilizar a logística reversa, incluindo a rastreabilidade dos produtos, ações de coleta, recolhimento, reciclagem e valorização dos resíduos para o processo de reciclagem", explica o diretor comercial da Purcom, Giuseppe Santanchè

Ele conta que o estudo mapeou aonde estão estes resíduos e os locais de destinação que, atualmente, vão para os lixões e os aterros sanitários. "Vamos trabalhar para que apenas o rejeito (o que não pode ser reciclado) seja destinado aos aterros", reforça Giuseppe

Entre os produtos que utilizam o poliuretano em sua fabricação estão colchões, estofados, isolamento térmico de geladeiras, freezers e câmaras frigoríficas, rodas para patins e skates, assentos e volantes de automóveis, calçados, peças para indústrias, entre outras aplicações.

O documento também aponta soluções para reciclagem e retorno do poliuretano para a cadeia produtiva, onde poderá ser utilizado novamente como matéria-prima para confecção de novos produtos. Entre as tecnologias utilizadas para reciclagem está a da empresa curitibana Devolva Serviços Especiais, que fará o gerenciamento e destinação dos resíduos. "Estamos propondo que o resíduo oriundo da indústria seja transformado em um composto de matéria-prima para confecção de novos produtos como muros para escolas e creches, tampos de carteiras escolares, estrutura interna de portas, base para abajures, tarugos para estrada de rodagem, entre outros”, explica o diretor da Devolva, Jorge Tamura.

No caso do poliuretano, a proposta representa um avanço ainda maior. Isso porque, a maioria dos produtos fabricados a partir do polímero apresenta grandes volumes e ocupa espaço nos aterros sanitários.

O empresário Fernando Metka, que utiliza poliuretano para a fabricação de telhas, avalia a iniciativa como um avanço para o setor. "É o primeiro passo para que a responsabilidade compartilhada pelo resíduo possa ser colocada em prática nesta área da produção ", declarou Metka.

SAIBA MAIS – O Brasil disponibiliza no mercado, anualmente, 620 mil toneladas de poliuretano. Os produtos do poliuretano têm muitos usos. Mais de três quartos do consumo global de poliuretano são na forma de espumas, com os tipos flexível e rígido